Martelo de Deus

Se você entrou aqui, talvez pergunte: Por que Martelo de Deus? Bem, a resposta é simples. Meu nome no latim significa martelinho. E o martelo é um instrumento para pregar. Então, sou um pregador até no nome. Escolhido e registrado por Deus. Heheheheheheheheheheheheheheheheeheheheh. Como martelo de Deus, vivo martelando ,ou seja, pregando.
"Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina".
II Timóteo 4.2

domingo, 18 de outubro de 2015

Uma reflexão sobre o Ano Sabático ou Ano de Descanso a Luz da Bíblia

Segundo a Bíblia, o ano sabático é o período de descanso da terra (Ex 23.10-11; Lv 25. 2-8). Neste ano a terra não poderia ser cultivada. Em Dt 15.1-2, também é apresentado como o ano de remissão das dívidas, e em Dt 15.12, como o ano da libertação de todo escravo israelita, pelo perdão de sua dívida, o que acontecia de 7 em 7 anos. Este ano é considerado como um sábado de descanso para a terra, acontecendo de sete em sete anos assim com o sétimo dia é um dia de descanso (Lv 25. 4; Ex 23.10-11; Lv 25.1-7). Com o objetivo de dar à terra um tempo para ela se refazer do trabalho que dela é exigido e principalmente que os pobres tivessem oportunidade de recolher o que fosse produzido espontaneamente (Ex 23.11). Logicamente, era um período que os empregados e os animais não trabalhavam no cultivo da terra. Neste ano as pessoas tinham tempo para outras atividades, para família e para buscar a Deus. Assim, de 7 em 7 anos, ou no ano sabático, fazendo um paralelo com o Sabá ou Sabat que é o dia semanal de descanso e/ou tempo de adoração observado em diversas crenças, era um ano de renovar a força física, emocional e espiritual. O termo deriva do hebraico shabat, "cessar", que foi pela primeira vez usado no relato bíblico da Criação. Sendo o exemplo deixado por Deus ao homem que ao criar tudo, descansou no sétimo dia. Ficando assim, o princípio do descanso. Vale ressaltar que a observância e lembrança do Sabá é um dos Dez Mandamentos.

Em Marcos 2. 23-28, O próprio Jesus diz: O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. O propósito da lei está no princípio do descanso. Neste caso a necessidade que o homem tem de descansar. O que não significa não fazer nada, como vemos no texto. Lembrando que esta foi criada para celebrar a libertação da escravidão egípcia. Os escravos hebreus não desfrutavam de um tempo justo de descanso, não tinham tempo para outras coisas a não ser trabalho (Dt 5.12; Ex 20.8). Portanto, a lei do sábado era uma lei de liberdade, não de escravidão. Jesus, a respeito do Sábado, também diz: “O Filho do Homem é senhor também do sábado”. Deixa claro, nesta passagem que Ele é o Senhor de tudo, inclusive do sábado. Portanto, pode tornar evidente o propósito da lei. No texto, a vida humana sobressai como valor maior a ser protegido e defendido. O homem deve obedecer à lei do sábado enquanto protege a vida humana. Se a lei se voltar contra o homem, como neste relato, ela se desviou de seu propósito. É farisaísmo absolutizar ou sacralizar leis acima de seu real objetivo pelo qual foram criadas. Estas perdem o sentido.

Eugene Peterson, conhecido como os pastores dos pastores no USA, costume ter um ano sabático. Geralmente, descansando de suas atividades pastorais locais, aproveita o ócio para criar, nestes períodos é onde costuma escrever seus livros. Praticando o que o estudioso Domênico De Masi diz: O futuro pertence a quem souber libertar-se da ideia tradicional do trabalho como obrigação ou dever e for capaz de apostar numa mistura de atividades, onde o trabalho se confundirá com o tempo livre, com o estudo e com o jogo, enfim, com o ‘ócio criativo'. Existe uma cultura cristã que culpa o ócio e que escraviza as pessoas em um ativismo religioso. Eugene Peterson, em seu livro o Pastor Contemplativo, trata desta questão da necessidade do pastor ser ocioso. O que não significa e não deve ser confundido com preguiçoso. Quero dizer, precisamos de tempo para orar, meditar, refletir, pensar, criar, fora deste contexto de ativismo. A vida da igreja local moderna é medida por eventos. Vivemos em um sistema em que as pessoas valorizam as outras pela atividade profissional, onde se faz necessário ser desligado das burocracias religiosas para encarar sem culpa uma licença física e mental dedicada a você mesmo e a criatividade. Deixar o ativismo da obrigatoriedade das funções, não significa não fazer nada e sim, ter tempo para ser dedicar a atividades criativas que envolvam você, família e principalmente, a Deus.

Podemos perceber a necessidade do ócio, quando não conseguimos nos relacionar com ninguém fora do que fazemos. Nossas conversas é sempre dentro da missão, não temos outro assunto. Não notamos as necessidades das pessoas próximas e que amamos e nos amam. Somos super-homens e nem percebemos as pessoas que matamos nas lutas contra nossos arqui-inimigos. Não conseguimos brincar com os filhos, sorrir de piadas, curtir os descansos em família, ser gente com as pessoas sem ser o “crentão”. E fazemos isto com Deus também. É isto mesmo, com Deus. Muitos estão envolvidos com a obra e não com o Deus da obra. Quando nossas orações são institucionalizadas, envoltas no que fazemos e nas necessidades que temos diante do que realizamos. Não são intimas, apaixonadas, focadas n'ele. Na Sua vontade e não na nossa. No que ele quer e não em que nós queremos.

Em algumas empresas é normal um ano sabático para os executivos. Em alguns países já é cultural ter um ano sabático que é diferente das férias. E isto é feito de forma positiva e com retorno assegurado. Em alguns países, os agricultores, mantêm até o princípio de descansar a terra. Engraçado como o exemplo bíblico e princípio de descanso pode ser usado em outros contextos, de maneira saudável e enriquecedora e continuar sendo tão ignorado na vida da igreja, que sequer discipula a nação ao ensinar esta observação no cultivo. Sendo o ano do descanso como um grande pecado e sinal de fraqueza por muitos. Não observamos nem o princípio de um dia de descanso semanal. Trabalhamos de segunda a segunda. Em algumas congregações, seus líderes, obreiros, missionários,... são enviados para outras nações com suas famílias para estudarem, escreverem, meditarem e descansarem de suas atividades locais, recebendo suas ajudas financeiras normalmente. E isto faz um bem a eles, aos seus e a própria comunidade de fé. Se isto não fosse um pecado tão grande para a igreja evangélica brasileira em geral, com certeza, não teríamos um número tão grande de divórcios, adultérios, suicídios, quadros de depressão profunda, filhos e cônjuges de cristãos e mesmo, pastores, missionários, obreiros em geral, desviados com raiva de Deus e da Igreja. Devemos refletir e deixar de preconceito e religiosidade!!

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ser Discípulo ou não ser? Eis a questão!

Uma grande multidão ia acompanhando Jesus; este, voltando-se para ela, disse: "Se alguém vem a mim e ama o seu pai, sua mãe, sua mulher, seus filhos, seus irmãos e irmãs, e até sua própria vida mais do que a mim, não pode ser meu discípulo. E aquele que não carrega sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo. "Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la? Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que a virem rirão dele, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar’. "Ou, qual é o rei que, pretendendo sair à guerra contra outro rei, primeiro não se assenta e pensa se com dez mil homens é capaz de enfrentar aquele que vem contra ele com vinte mil? Se não for capaz, enviará uma delegação, enquanto o outro ainda está longe, e pedirá um acordo de paz. Da mesma forma, qualquer de vocês que não renunciar a tudo o que possui não pode ser meu discípulo. Lucas 14:25-33 (NVI)

No Brasil o número de crentes evangélicos que se dizem cristãos, cresce avassaladoramente. E percebemos que a influência do evangelho que está sendo pregado parece não impactar tanto a sociedade, mesmo com um número crescente de ditos conversos, quando comparado com a realidade bíblica da igreja primitiva. Qual será o problema para tantos escândalos e falta de testemunho na vida de quem se apresenta como um seguidor de Jesus? Por que mesmo com tantos novos adeptos na igreja brasileira não influenciamos nossa sociedade com a vida de Cristo e por que é notório que este tipo de cristão evangélico parece distanciar-se tanto dessa vida modelo de Jesus a qual declara seguir?
Bem, se pode dizer que apesar de termos muitos cristãos, temos poucos discípulos. E o que é um discípulo? 1Juan Carlos Ortiz define um discípulo como: “…aquele que segue a Jesus Cristo. Ser cristão não significa automaticamente ser discípulo, embora os cristãos sejam membros do Reino de Deus. Seguir a Cristo implica em aceitá-lo como Senhor; significa servi-lo como um escravo. Também significa amar e louvar.” Pode-se dizer que 2“os pequenos cristos” de hoje não querem segui-lo e servi-lo e sim serem servidos por Ele. Ser discípulo implica em renúncias maiores do que ser simplesmente um crente evangélico assíduo e participante no local em que congrega.
Ser discípulo implica em amá-lo acima de tudo e de todos. Acima de famílias e acima da própria vida. Ser discípulo fala de cruz e cruz fala de obediência e morte, pois, ele mesmo foi obediente até a morte, e morte de cruz!3 Ser discípulo fala em segui-lo sem reservas e para isso é necessário fazer um cálculo como alguém que vai começar uma empreita e deseja concluir sem problemas, por isso, faz um planejamento financeiro para não ter que interromper a obra e ser envergonhado com comentários maldosos por começar uma construção e não ter condições de terminá-la.

O chamado de Jesus ao discipulado faz do discípulo um indivíduo. Querendo ou não, ele tem que se decidir, tem que tomar uma decisão sozinho. Não é indivíduo espontaneamente; Cristo é que faz do ser humano chamado um indivíduo. Cada qual é chamado individualmente e tem que ser discípulo sozinho. Com receio desta solidão, o ser humano procura proteção junto às pessoas e coisas que o cercam. Apercebe-se de súbito, de todas as suas responsabilidades e apega-se a elas. Encoberto por elas, deseja tomar sua decisão, mas não quer encontrar-se sozinho perante Jesus e ter que decidir-se com o olhar fixo somente nele. Mas, nesta hora o ser humano chamado não pode ocultar-se por detrás de pai e mãe, mulher e filhos, povo e história. Cristo quer que o ser humano fique só, que nada mais enxergue senão aquele que o chamou. (Bonhoeff, O Discípulo, pg. 51)

Este cálculo significa uma decisão bem estudada. Não é nada impensado e puramente emotivo. É algo que se deseja fazer após pesar prós e contras e chegar a conclusão que vale a pena começar a viver como um discípulo de Jesus Cristo e viver intensamente como tal até o fim. Sendo dele e vivendo da forma que Ele deseja. Se necessário morrer não só espiritualmente, mas, até sacrificialmente, tendo que sofrer por amor por quem sofreu por amar a todos. Esta decisão é individual! Ser um discípulo deve ser uma resolução de cada um diante de Cristo. Mas, não significa uma vida solitária. Existem outros discípulos e quando estes se reúnem a vida de Igreja e da igreja local é totalmente diferente do que vemos hoje nos “quadradinhos”4. Ser discípulo não aponta só há um relacionamento vertical, mas, há um relacionamento horizontal. Isso se chama cruz!

A cruz de Cristo liga o discípulo a Deus e também as pessoas. “Eu sei que muitos que vivem problemas no relacionamento da igreja, podem até parar de congregar, porém há uma verdade que não pode ser ignorada: "NÃO EXISTE CRESCIMENTO FORA DO CORPO”5 , o discipulado faz parte da vida de igreja. O acompanhamento mano a mano. Um ensinando ao outro. A convivência gerando vinculo. Precisamos resgatar o “partir o pão em casa”6. Culto não gera relacionamento com pessoas e famílias. Precisamos entender que não há crescimento individual se não existem vínculos que nos una ao corpo. Na Igreja Brasileira falta “juntas e ligamentos”7 em diversas partes do Corpo, tanto de forma geral como local.

O texto informa-nos que através das “juntas” e “ligamentos” todo corpo é SUPRIDO e BEM VINCULADO, ou seja, a igreja, que é o corpo de Cristo, quando alimentada (suprida) e unida (bem vinculada), pelas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus. Nossa igreja local está acostumada com a ideia de que estas juntas falam de companheirismo, por isso usamos o seguinte termo: junta de companheirismo. Também dizemos que o discipulado é o ligamento. Este ensino nós repetimos porque ouvimos de irmãos que consideramos mais adiantados na obra de fazer discípulos, contudo, não posso provar que seja realmente assim, embora creia nisso. (Franco. Plenitude, pg. 77,78)

É preciso entender que a importância de ser discípulo envolve uma atitude individual perante o Senhor Jesus que vai influenciar na vida da igreja local e na vida de corpo de Cristo. Quando caminhamos como discípulos de Jesus e não como crentes evangélicos fazemos parte de um Reino e não de uma estatística. Vivendo assim vamos impactar nossa sociedade com o amor e verdade que acompanham nosso Mestre. Somente os seguidores de Jesus vão conseguir gerar a vida dele, reproduzir verdadeiros discípulos nessa geração e produzir um crescimento genuíno e impactante do Reino de Deus.




1Autor de: O Discípulo. Citação da Primeira Parte página 11. Até hoje considerado um livro revolucionário para quem deseja aprofundar no verdadeiro discipulado.

2Biblicamente e originalmente, o significado da palavra Cristãos no grego é "Pequenos Cristos" - dando o sentido de que o cristão deve ser uma cópia submissa de Cristo. A designação não está relacionada à religião de alguém, mas sim, à identidade que essa pessoa tem com a pessoa de Cristo! (Dicionário Informal)

3Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Filipenses 2:5-8

4Referência que faço aos lugares que nos reunimos como Igreja e que frequentemente é reconhecido com tal. Temos entendido que igreja são pessoas e não os prédios. Nos reunimos como Igreja e não vamos a igreja. Nós somos a Igreja. “Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.” Hebreus 10:25 (NVI)

5Sérgio Franco. Plenitude, Cooperando com o Crescimento da Igreja, pg. 87.

6E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. Atos 2:46-47

7Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade e na adoração de anjos os impeça de alcançar o prêmio. Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa. Trata-se de alguém que não está unido à Cabeça, a partir da qual todo o corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento dado por Deus. Colossenses 2:18-19 


BIBLIOGRAFIA

Discipulado/Dietrich Bonhoeffer; tradução Ilson Kayser. 8. ed. - São Paulo: Sinodal, 2004.

O discipulo/Juan Carlos Ortiz; Tradução de Myrian Talhita Lins; 2. ed. - Belo Horizonte: Betânia, 2007.

Plenitude, Cooperando com o Crescimento da Igreja/ Sérgio Franco; 1. ed. - Rio de Janeiro: Kirios, 2007.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A importância da Intercessão

Deus é Soberano? Sim! Mas, quem disse que ele fez a opção de agir de forma independente. Sua vontade é trabalhar na Terra juntamente conosco seus filhos e não independente de nós. Será que o que Deus faz, suas obras, maravilhas, milagres, prodígio, ele faria independentemente de nós? Ou nossas orações o levam a fazer algo em resposta a elas? Deus estabeleceu agir em resposta as nossas orações.

Ele nos estimula a orar, vamos ver alguns exemplos em que Deus nos motiva a interceder em prol de uma promessa pré estabelecida por Ele:

  1. Cura de Uma Nação: Se o meu povo, sobre quem foi invocado o meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e curarei a sua terra. 2 Crônicas 7:14

  1. Perdão dos Pecados: Quando for fechado o céu, e não houver chuva, por terem pecado contra ti; se orarem neste lugar, e confessarem o teu nome e se converterem do seu pecado, quando os afligires; ouve do céu e perdoa o pecado dos teus servos e do teu povo de Israel, ensinando-lhes o bom caminho em que andem; e envia chuva sobre a terra que deste ao teu povo em herança. 2 Crônicas 6:26-27 (I Jo 1.9)

  1. A liberação da vontade de Deus na Terra: Portanto orai vós deste modo: Pai nosso que estás nos céus; santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu. Mateus 6:9-10


Deus tem como parte de seu propósito eterno operar na terra por meio de seus filhos. John Wesley disse: “Deus não faz nada na terra a não ser em resposta a oração daquele que crê”. O Deus soberano decidiu agir assim. Ele decidiu revelar sua vontade por intermédio de uma povo que ora. Vamos ver alguns exemplos de filhos de Deus que se levantaram em Oração e viram o mover de sua resposta:

  1. I Reis 18: 1, 41 a 45 – Tg 5.17-18 – Elias ora e Deus envia chuva. E sabemos que antes de seu servo orar, já era da vontade de Deus que chovesse.

  1. Dn. 9.1; 10.2-3, 9-14 – O clamor de Daniel em favor do povo e pela restauração de Israel desencadeou uma batalha nos céus.

  1. Nm. 14.11-12, 20 – A Intercessão de Moisés recebe uma resposta inacreditável da parte de Deus: “Conforme a tua palavra lhe perdoei”.

Vamos ler Ezequiel 22. 30-31. Uma situação em que Deus queria perdoar e não o fez, por quê? Por que não encontrou um homem que pudesse interceder. Por fim, vamos ver no novo testamento alguns exemplos que nos revelam a importância dada nas escrituras para intercessão:


  1. Jesus nos incentiva a clamarmos ao Pai por trabalhadores para sua Seara – Mt. 9.38.

  1. Paulo pede oração aos irmãos para que a palavra do Senhor se propague – II Tes. 3.1.

  1. Paulo incentiva a Timóteo e a Igreja que orem por todos os homens com súplicas, orações, intercessões, ações de graças e pelas autoridades governamentais que estão sujeitos. I Tim. 2.1-3

Não é difícil entender que Deus quer nos usar. E um dos principais meios para que isso se torne realidade é a intercessão. Precisamos nos posicionar e valorizar o que Deus valoriza. Precisamos parar com desculpas e achismos. “Eu entendo, mas, acho que não precisa ser assim.” Há outras formas de desenvolver intercessão em nosso meio.” E assim vai... Devemos nos mover segundo o que Deus tem nos dado nesse lugar. Deus nos chamou para desenvolvermos adoração e intercessão conjunta diariamente. Façamos parte disso!!


Baseado no livro: O Poder da Oração Intercessória - Dutch Sheets

Bíblia Versão: Sociedade Bíblica Britânica – www.bibliaonline.com.brA importância da Intercessão

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Não espere das pessoas o que elas não podem oferecer!!


Tenho dito muito esta frase ultimamente. Não devemos esperar de uma criança a maturidade de um adulto. Na vida cristã é um principio que devemos exercer. As pessoas correspondem com a maturidade que tem. Tanto emocional, quanto espiritual. Não adianta cobrar além do que elas podem corresponder. Pessoas imaturas não conseguem administrar de forma positiva a liberdade e poder de escolha. Assim como uma criança necessitam de alguém pra dizer o que precisam fazer. Infelizmente, quando não encontram pessoas bem intencionadas e direcionadas por Deus, acabam sendo manipuladas e colocadas em cabresto. No lugar de serem conduzidas a maturidade.

Temos que lidar também com aqueles que não querem crescer. A geração Nem-nem não é só mais um tema de novela e uma realidade levantada por sociólogos e psicólogos já há algum tempo.

"Neném? Não, não é neném. Bem que poderia ser, já que além da semelhança fonética possuem algumas características em comum: não estudam, não trabalham e vivem à custa dos pais. Viram como se parecem? Pois é, mas é estranho. Um neném fazer isso, vá lá, está dentro da normalidade. Agora, para um jovem acima de dezoito, vinte anos? É no mínimo contraditório. Contraditório com o próprio sentido de juventude, pois juventude é energia, é reivindicação, é insatisfação, é querer alçar altos voos. É querer mudar o mundo. É querer ser independente.
A geração perdida: “nem-nem” que está aí, é aquela que cresceu longe do trabalho e da escola. O termo é uma tradução livre do espanhol, pois na Espanha é conhecida como a geração “Ni-Ni”, “ni estudian ni trabajan”; na Itália é chamada de “mammone” porque não larga da saia da mama,..." Zélia Nolasco Freire

Esta geração existem no meio da Igreja também. Não fazem nada. Não querem se responsabilizar por nada e sempre querem viver espiritualmente debaixo da saia de alguém. E não são só os jovens. Muitos adultos e idosos, que se dizem convertidos há muito tempo e não fazem nada. Nem a nível local e nem a nível de Reino.

Como pastor, tenho aprendido a não colocar muita expectativa nas pessoas. O que tem ajudado em minha saúde em todos os aspectos. Existem aqueles que já possuem uma certa maturidade e vão se envolver, vão fazer além, vão crescer ainda mais. Ainda que tropecem aqui ou ali, não vão desistir. Alguns precisam ser tratados como são, imaturos, infantis, mimados e birrentos, mas, que vão corresponder e com muita paciência, amadurecer. Esses você vai ter que ir até a linguagem deles. Facilitar a compreensão. Dar um alimento adequado até que consigam ingerir algo mais sólido. E existem aqueles que não querem crescer, não querem se envolver, vão dar trabalho e simplesmente não farão nada. Se contentam em ir pro culto e mais nada. E quando não ficam reclamando e criticando já é lucro. Só restando orar por eles, pra ver se um dia deixam o Espírito confrontar e tratar. E é isto. Faz parte!!

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Não deixe que ninguém o despreze

Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza. 1 Timóteo 4:10-12

Paulo não fala para as pessoas que Timóteo pastoreia para não despreza-lo por ser um jovem. Ele fala para o próprio Timóteo: "Não deixe que ninguém o despreze". Paulo exorta a seu filho na fé para que a sua inexperiência de vida não seja um empecilho no seu ministério. E o desafia a ser um exemplo a todos. A palavra usada por Paulo é “Tupos” (Tipos), que no grego significa impressão visível, cópia, imagem, padrão, modelo. 
A exortação é: Seja uma impressão de Cristo em meio a comunidade de Fé na maneira de falar, no seu modo de vida, dedicando tempo e gastando energias em favor de outros, sendo um exemplo na fé e na castidade (física e mental).

Que os jovens de hoje venham entender esta palavra nas suas vidas também e vivam como um modelo de Cristo.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Santificação!!

Cuidado quando você canta, ora; Quero te ver! Quanto mais você se aproximar d'Ele, mais você vai se ver. E como Isaías, que já era profeta, já falava em nome de Deus, já tinha um certo conhecimento da pessoa d'Ele, você vai precisar se deparar com seus pecados e ver o ambiente pecaminoso que você está. Mas, não se preocupe, quando Deus se depara com um servo arrependido, sua manifestação é sempre de graça e misericórdia. Sua ação é purificadora e desafiadora. Após ser tocado pela brasa é que os ouvidos do profeta se abriram ao Clamor missionário que veio dos céus.

A palavra diz: Segui a paz com todos, e a SANTIFICAÇÃO, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hebreus 12:14)... Santificação é um processo contínuo, só para quando Jesus voltar. As palavras "santificar", "sagrado" e "santo" são traduções da mesma palavra grega. Santificar não significa tornar sem pecado, mas, separar pra Deus. O discípulo de Jesus está separado do pecado e para Deus. Santificação acontece nos três modos indicativos: passado, presente e futuro. Estamos autorizados a falar: fui santificado; estou sendo santificado; ainda serei santificado. Por isso não se assuste quando você vê que não é tão "puro" quanto pensava. E isso vai acontecer!! Tão somente: Arrependa-se e continue o processo!!

Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo. 1 João 2:1-2

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Oração!

Temos a ideia que oração é inércia. Muitos acham que orar não é uma ação. E que só orar é inútil. Esquecendo que as vezes é o único recurso. Mas, ainda que não seja o único, deve ser sempre o primeiro. Bem, não conheço ninguém que tenha uma vida de oração verdadeira que não tenha atitude. A grande questão é que existem aqueles que ao orarem mais, suam menos. E aqueles que oram menos e suam mais. Por isso, muitos estão cansados e desanimados. A grande questão é que somos imediatistas e presunçosos. Gostamos de orações SEDEX. Muito do que temos feito como igreja não é vontade de Deus e usamos a desculpa que devemos ser uma igreja atuante e andamos de forma independente de Jesus. A grande questão é que quando oramos nos alinhamos com a vontade de Deus e muitas vezes isso não acontece rapidamente. Pode levar horas, dias, semanas, meses, anos, mas, quando o alinhamento com seus propósitos acontece é arrebatador e aquilo que muitos gastaram tempo, suor e energia para tentar realizar algo que nunca aconteceu ou vai acontecer de fato, acontece em um tempo ridiculamente menor, por causa de um tempo bem maior investido em oração.

Aqueles que deixaram a mais profunda marca nesta Terra amaldiçoada pelo pecado foram homens e mulheres de oração. D.L. Moody
Ser um cristão e não orar é tão impossível quanto viver e não respirar. Martin Luther King Jr.
Sempre que Deus tenciona exercer misericórdia para com seu povo, a primeira coisa que faz é levá-lo a orar. Matthew Henry
Tenho passado dias e até semanas prostrado ao chão, orando, silenciosamente ou em voz alta. George Whitefield
A oração é um instrumento poderoso não para fazer com que a vontade do homem seja feita no céu, mas para fazer com que a vontade de Deus seja feita na terra. Robert Law
Sussurros que não podem ser expressos em palavras são freqüentemente orações que não podem ser recusadas. Charles H. Spurgeon
A oração é o meio escolhido por Deus para realizar os Seus propósitos soberanos através de homens submissos. André Aloísio
A oração é o antídoto para todas as nossas aflições. João Calvino